Safári Microbiano

Safári Microbiano foi um evento que ocorreu entre os anos de 2006 e 2010 com o intuito de mostrar aos mais jovens, especialmente estudantes de escolas públicas de Ensino Fundamental e Médio, o mundo microbiano de uma forma interativa. Nas quatro edições do Safári, foram apresentadas várias atrações, como a Casa Microassombrada, a célula procariótica, os stands de pesquisa, os animais empalados e muito mais. O projeto foi coordenado pela professora Marcia Mayer (mpamayer@icb.usp.br), do Departamento de Microbiologia, e contou com a parceria financeira do CNPq. A primeira mostra ocorreu de 16 a 20 de outubro de 2006. Nesta edição, 75% dos estudantes eram de escolas públicas. O intuito foi fornecer a estudantes de EF e EM o que são microrganismos , onde eles se encontram, como eles são, como afetam o ambiente ao nosso redor e como podemos utilizá-los a nosso favor.

segunda mostra ocorreu de 16 a 20 de abril de 2007. Neste projeto, várias melhorias foram implementadas de acordo com o feedback recebido na primeira edição: redução do tempo de apresentação oral dos projetos, instalação de maior número de atividades interativas e inserção de informações da programação no site, para que as escolas pudessem ter um planejamento prévio e melhor aproveitar as atividades. Alguns temas passaram a ter maior prioridade, como doenças infecciosas e prevenção. Com as mudanças, os estudantes mostraram muito mais interesse e participação.

terceira mostra ocorreu de 20 a 24 de outubro de 2008. Nessa edição, devido a grande demanda de escolas particulares nas duas primeiras edições, o agendamento das escolas públicas foi feito de forma prévia e prioritária. Nessa edição foi introduzido um projeto de vacinas, explicando seu conceito e importância. Também foram introduzidos modelos tridimensionais de células procariontes e eucariontes para facilitar o entendimento de suas estruturas.

quarta mostra ocorreu de 6 a 15 de abril de 2010. Foi introduzido um software interativo explicando a interação entre patógenos e hospedeiros, assim como um modelo tridimensional do DNA e novos modelos 3D de bactérias e vírus. Também foi instalado o projeto Casa Microassombrada, coordenado pela professora Maria Ligia Carvalhal, e também vídeos curtos explicando onde os microrganismos podem ser encontrados no nosso dia a dia.


Mais informações:

Vídeo ilustrativo da Casa Microassombrada

Relatório CNPq das quatro edições do projeto 

Manual do jogo “A Casa Microassombrada”