ONU lança ação global no TikTok com os bastidores da busca por vacinas contra a COVID-19

Campanha #EquipeHalo estreia nesta terça-feira, dia 20, com participação de pesquisadores do ICB-USP e outras universidades brasileiras e internacionais


20/10/2020

 

Cientistas que estão na corrida pelo fim da pandemia vão falar de suas pesquisas em perfis na plataforma TikTok. A ação global foi criada pela Organização das Nações Unidas (ONU) e envolve profissionais de vários países do mundo. Para representar o Brasil, participam da iniciativa os pesquisadores Natalia Pasternak e Gustavo Cabral de Miranda, do Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo (ICB-USP), e o biofísico Rômulo Neris, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). O objetivo é atualizar e aproximar o público do trabalho que vem sendo realizado na pesquisa pelas vacinas. Acesse o site oficial aqui.

 

A iniciativa, chamada no Brasil de #EquipeHalo – em inglês #TeamHalo, irá revelar o cotidiano dos cientistas, chamados de “guias”, que trabalham com as pesquisas pelas vacinas em países como Reino Unido, EUA, África do Sul, Índia e Brasil. De forma voluntária, eles irão contar suas histórias na rede e postar vídeos que destacam a seriedade e o empenho de todos em conter a pandemia, além de responder perguntas do público e esclarecer rumores e informações incorretas. Os cientistas desejam enfatizar a natureza global do trabalho e reconhecer a contribuição de milhares de pessoas ao redor do mundo.

 

O TikTok foi escolhido para sediar a ação pois permite aos pesquisadores contar histórias sérias de uma forma criativa e envolvente, em prol de tornar a ciência acessível e didática para públicos de diferentes idades e perfis. O projeto conta com apoio do Verificado, iniciativa global da Organização das Nações Unidas (ONU), Vaccine Confidence Project e a GAVI – Aliança das Vacinas.

 

“Em um momento em que médicos e cientistas de todo o mundo trabalham incansavelmente para informar o público sobre os perigos do COVID-19 e o progresso nas vacinas, nós damos as boas-vindas ao uso do #EquipeHalo como uma forma de compartilhar conteúdo sobre o assunto através do TikTok. O TikTok permite se expressar  de forma positiva e criativa e pode ajudar esses heróis do dia a dia a educar e alcançar o público de uma forma envolvente, ao mesmo tempo em que auxilia a nossa comunidade a se manter segura e informada durante esses tempos desafiadores”, diz Matthew Harris, Head de CSR e TikTok for Good/Europa.

 

Pesquisa brasileira – A bióloga Natalia Pasternak atua como pesquisadora visitante do ICB-USP, no Laboratório de Desenvolvimento de Vacinas, e diretora-presidente do Instituto Questão de Ciência, enquanto o pesquisador Gustavo Cabral de Miranda lidera a pesquisa de desenvolvimento de vacinas contra o coronavírus, assim como vacinas para Chikungunya e Zika vírus, no Departamento de Imunologia do ICB-USP. Já Rômulo Neris é doutorando da UFRJ e o foco de sua pesquisa é a forma como o sistema imune reage ao coronavírus.

 

“A informação científica de qualidade precisa circular nas redes sociais de forma fácil, acessível e didática. O sentimento antivacinas no Brasil e no mundo está crescendo, e não deve ser subestimado. Participar de uma iniciativa mundial, representando o Brasil, é uma honra e uma ótima oportunidade para divulgar ciência neste mar de desinformação”, afirma Natalia Pasternak.

 

Melissa Fleming, subsecretária-geral de Comunicações Globais da ONU, conta que a desinformação minou a confiança do público nas vacinas. “A #EquipeHalo pretende recuperar essa confiança. São pessoas incríveis fazendo a ciência ser parte de uma colaboração global. Devemos comemorar o fato destes profissionais nos ajudarem a colocar um fim nesta terrível pandemia”, finaliza.

 

A biografia e o histórico de pesquisa de cada um dos guias brasileiros estão ao final do texto.

 

Depoimentos internacionais:

“Somos pioneiros em testes em humanos de uma nova vacina COVID-19 e estou muito animada em compartilhar um pouco da ciência e das pessoas envolvidas em meu trabalho. Estou acostumada a passar muito tempo olhando microscópios e analisando dados. Falar nas redes sociais me deixa um pouco nervosa, mas é importante que desmistifiquemos nosso trabalho e o tornemos mais acessível ao mundo. A #EquipeHalo também permitirá que os cientistas respondam perguntas do público e esclareçam informações incorretas sobre vacinas e rumores que estão se espalhando na internet”.

Dra. Anna Blakney, bioengenheira na linha de frente do desenvolvimento da vacina COVID-19 no Imperial College London.

 

“Construir confiança na vacina requer empatia e transparência com as pessoas, que muitas vezes podem ser céticas em relação aos governos e empresas envolvidas no processo de desenvolvimento. A #EquipeHalo espera mostrar que os cientistas são seres humanos normais e cuidadosos, realizando um trabalho extraordinário. São heróis do cotidiano que estão vivendo esta pandemia como o resto de nós, enquanto usam a ciência mais recente para nos ajudar a encontrar uma saída. Os cientistas que participam da #EquipeHalo, conhecidos como ‘Guias’, desejam enfatizar a natureza global de seu trabalho e reconhecer a contribuição de milhares em todo o mundo”.

Heidi Larson, fundadora do Vaccine Confidence Project e especialista em construir confiança em vacinas.

 

“A ciência que usamos foi construída em centenas de anos de descoberta humana compartilhada. As equipes com as quais trabalhamos vêm de todo o mundo. Ouvimos muito sobre os esforços de países individuais para encontrar uma vacina, mas a realidade é que sempre foi um esforço global. Quer sejam as equipes internacionais trabalhando em qualquer laboratório ou a colaboração além das fronteiras desde os primeiros dias desta crise, temos tentado deter o vírus juntos”.

Dr. Shiv Pillai, Professor de Medicina e Ciências da Saúde e Tecnologia da Harvard Medical School


Biografias

 

Natalia Pasternak

Natalia Pasternak atua como pesquisadora visitante do Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo, no Laboratório de Desenvolvimento de Vacinas (LDV). É membro da Science Teaching Fellows Alumni Community da American Society for Microbiology, publisher da revista “Questão de Ciência” e diretora-presidente do Instituto Questão de Ciência (www.iqc.org.br), a primeira instituição brasileira para promoção de pensamento crítico e políticas públicas baseadas em evidências científicas. É colunista do jornal “O Globo”, das revistas The Skeptic (Reino Unido) e Veja Saúde e autora do livro “Ciência no Cotidiano”, da editora Contexto.

Ela é formada em Ciências Biológicas pelo Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo (IB-USP) e PhD com pós-doutorado em Microbiologia, na área de Genética Molecular de Bactérias pelo Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo (ICB-USP). Foi diretora no Brasil do Festival Internacional de Divulgação Científica Pint of Science – Um Brinde à Ciência, coordenando palestras em 85 cidades. Currículo Lattes

 

Gustavo Cabral de Miranda

Cientista/Pesquisador FAPESP, Gustavo lidera a pesquisa de desenvolvimento de vacinas contra o Coronavírus gerador da COVID-19, assim como vacinas para Chikungunya e Zika vírus, no Departamento de Imunologia do Instituto de Ciências Biomédicas da USP. A estratégia de pesquisa para produção das vacinas é baseada no uso de “partículas semelhantes a vírus” (VLPs, da sigla em inglês), tema de seus pós-doutorados no Instituto Jenner (Universidade de Oxford), na Inglaterra, e no Hospital Universitário Inselspital (Universidade de Berna), na Suíça. O pesquisador saiu do pequeno povoado de Creguenhém, no município de Tucanos (BA), para estudar Ciências Biológicas na Uneb.

Graças a bolsas de investimento à pesquisa, conseguiu também concluir o Mestrado em Imunologia na UFBA (Universidade Federal da Bahia) e o Doutorado no Departamento de Imunologia do Instituto de Ciências Biomédicas (ICB-IV) da Universidade de São Paulo (USP). Gustavo fez também um doutorado sanduíche na unidade de investigação Biomark, Sensor Research, do Instituto Superior de Engenharia do Porto (ISEP), em Portugal. Currículo Lattes

 

Rômulo Neris

Rômulo Neris é Biofísico, Mestre em Ciências (Microbiologia), pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, e doutorando em Imunologia e Infecção na mesma instituição. O biofísico estuda vírus desde 2010 e sua especialidade é entender como o nosso sistema imune se comporta durante as infecções virais. Ele estava em período sanduíche na University of California-Davis e retornou ao Brasil durante a pandemia para estudar o novo coronavírus. Parte de sua pesquisa é financiada pela organização americana Dimensions Sciences.

Seu projeto busca entender quais são os mecanismos que fazem com que o nosso corpo desenvolva imunidade contra o Sars-CoV-2 e porque algumas pessoas têm complicações enquanto outras só desenvolvem sintomas leves da doença. Desde o início da pandemia, tem sido consultor de diversos veículos de mídia sobre infecção pelo vírus e imunidade, tratamentos e vacinas contra a COVID-19. Currículo Lattes