ICB-USP divulga Anuário Estatístico e Annual Report 2020

Os documentos destacam as principais conquistas do Instituto no ano anterior e ressaltam a sua contribuição no combate à pandemia.


08/07/2021

O Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo (ICB-USP) acaba de lançar o Anuário Estatístico 2020 e o Annual Report 2020 (com versões em português e inglês) da instituição. A primeira publicação apresenta, em números, dados sobre gestão e finanças; produção científica e inovação; ensino; cultura e extensão e internacionalização. Já a segunda mostra as conquistas, os eventos e as principais ações em pesquisa, ensino e cultura e extensão – marcos que ressaltam a importância do Instituto para a sociedade durante o ano de 2020.

 

Para o diretor do ICB-USP, Luís Carlos de Souza Ferreira, a publicação dos anuários reflete a preocupação institucional em apresentar números de desempenho e eficiência para a sociedade. “Um trabalho essencial para que possamos realizar, de forma contínua, a busca de melhorias em nossos serviços à sociedade que nos financia e, sobretudo, aos estudantes que aqui buscam sua formação profissional”, destaca.

 

Protagonismo na pandemia – Entre as informações disponíveis nos relatórios, destaca-se a atuação do ICB-USP no combate à Covid-19, em especial o trabalho do professor Edison Durigon e sua equipe do Laboratório de Virologia Clínica e Experimental. O grupo foi responsável por isolar e cultivar o vírus SARS-CoV-2 pela primeira vez no Brasil, distribuindo amostras inativadas para laboratórios de todo o país. Esse feito permitiu a aceleração de diagnósticos e pesquisas sobre a Covid-19 e rendeu ao professor a medalha Armando de Salles Oliveira, a mais alta honraria da USP.

 

Junto ao Instituto Adolpho Lutz, os pesquisadores desenvolveram protocolos que credenciaram 140 laboratórios para a aplicação de testes RT-PCR, ampliando as alternativas para a população. A equipe também desenvolveu dois testes de diagnóstico para a doença: um teste sorológico ELISA (Ensaio de Imunoabsorção Enzimática), que tem uma eficácia de 92% no diagnóstico de casos positivos e 98% em casos negativos, e sinaliza manifestações assintomáticas; e o teste RT-PCR-ICB, uma alternativa ao PCR em tempo real que utiliza apenas insumos nacionais, com eficácia de 98% para detectar casos positivos e 100% em casos negativos.

 

Ensino e pesquisa – No ensino de graduação, o Instituto conseguiu manter 100% das aulas teóricas previstas, toda ministradas à distância, mesmo com as limitações impostas pela pandemia. Assim, mais de 5 mil alunos matriculados na instituição, dos cursos de graduação do ICB e de outras unidades da USP, continuaram assistindo às aulas. Para muitos alunos, isso só foi possível graças aos 2.250 kits de acesso à internet que foram distribuídos pela USP aos estudantes com limitações socioeconômicas.

 

Na pós-graduação, o ICB capacitou 55 profissionais com títulos de mestrado e 44 com doutorado. Além disso, na pesquisa, 32 pós-doutorandos, 8 pesquisadores colaboradores e 44 alunos de iniciação científica ingressaram no Instituto. Foram 582 artigos publicados em revistas científicas, sendo 1.863 citações pelo Scopus e 1.317 pelo Web Of Science. Quatro pedidos de patentes foram depositados em 2020.

 

Em 2020, o ICB-USP manteve convênio com 39 instituições estrangeiras, de 20 países das Américas do Sul e Norte, Europa e Ásia. A maior parte dos intercâmbios foi realizada por alunos de pós-graduação (13) e docentes (24) do Instituto, que ainda recebeu dez docentes visitantes.

 

O protagonismo do ICB também rendeu premiações: o Instituto recebeu o prêmio Tese Destaque USP pelo segundo ano consecutivo, com o trabalho da pesquisadora Edione Cristina dos Reis, orientada pela professora Alessandra Pontillo. A cientista resgatou a resposta imune de células dendríticas de pacientes com HIV. Já a tese da aluna Aline Cristina Parletta Cesaro, orientada pela professora Maria Luiza Morais, recebeu menção honrosa no Prêmio Vídeo Pós-Graduação USP.

 

A disseminação de informações relacionadas à Covid-19 foi outra contribuição relevante do ICB. O setor de Comunicação produziu uma série de 10 vídeos, intitulada “ICB-USP x COVID-19 – A ciência contra o coronavírus”, que recebeu mais de 90 mil visualizações no ano passado. Além disso, 323 notícias sobre o Instituto foram veiculadas na imprensa, com destaque para publicações na Folha de São Paulo, CBN, O Globo, e Jornal Hoje, da TV Globo.

 

Em suma, durante o ano de 2020, o Instituto de Ciências Biomédicas deu continuidade à sua trajetória de trabalho em ensino, pesquisa e extensão, além de ter contribuído de forma significativa na luta contra a pandemia de COVID-19. Informações que merecem ser preservadas e divulgadas a todos na USP e fora dela.