Erney Plessmann de Camargo recebe título de Professor Emérito da USP

Docente se destacou por sua notável contribuição no ensino e no combate às doenças parasitárias no Brasil. Cerimônia foi realizada na última quarta-feira, 17 de agosto.


20/08/2021

Foto: Marcos Santos/USP Imagens

“Para Erney, a aposentadoria formal dos 70 anos foi apenas um ponto de partida para uma nova fase altamente produtiva da vida científica, que mais uma vez revela o seu espírito aventureiro”, disse o Prof. Dr. Marco Antonio Zago, presidente da FAPESP, durante a cerimônia de entrega do título de Professor Emérito da Universidade de São Paulo a Erney Felício Plessmann de Camargo, do Instituto de Ciências Biomédicas (ICB) da USP, transmitida na última quarta-feira (17/8).

 

O título é concedido a docentes aposentados que se destacaram em suas atividades de ensino e pesquisa e que contribuíram para o progresso da Universidade. Trata-se do terceiro título deste tipo recebido por Camargo, que já é Professor Emérito do ICB e da Faculdade de Medicina (FM) da USP.

 

Durante o evento, Zago ressaltou a perseverança de Camargo em uma vida dedicada à educação superior, à ciência e à melhoria da saúde da população. “Erney contribuiu para a defesa da autonomia acadêmica e do papel da universidade, em um período em que sua liberdade foi ameaçada. Ele e seus companheiros da época foram perseguidos pela ditadura militar, por suas posições políticas e por serem críticos das condições precárias em que vivia parte considerável da população. Seu compromisso com a ciência permaneceu inabalável, apesar dos empecilhos”.

 

A dedicação do pesquisador no combate às doenças parasitárias, como malária e Doença de Chagas, se estendeu para comunidades de regiões rurais ou isoladas, como na Amazônia e na África, locais com maior incidência dessas enfermidades. “Discípulo de Samuel Pessoa, Erney herdou o amor pela parasitologia e um grande respeito pelas pessoas, especialmente os humildes, focando sempre nos verdadeiros problemas do homem brasileiro. Em seu trabalho, é possível identificar a convicção de que a ciência e a tecnologia podem ser motores do desenvolvimento e da melhoria da qualidade de vida”, afirmou Zago.

 

O pesquisador destacou, ainda, a gestão de Erney Camargo na presidência do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). “Eu tive o prazer de sucedê-lo no CNPq, onde encontrei os reflexos positivos de sua gestão, como a redução da burocracia, eliminação dos processos em papel, prioridade à informatização, criação da Plataforma Carlos Chagas e fortalecimento da Plataforma Lattes”.

 

Em seu discurso, o professor Erney Camargo agradeceu à USP por ter apresentado a ele intelectuais notáveis e grandes amigos, ter permitido que ele e sua esposa educassem os seus quatro filhos, todos doutores pela Universidade, e pela oportunidade de formar diversos graduandos e pós-graduandos, cinco dos quais se tornaram professores titulares de universidades públicas.

 

“Estamos falando de um grande símbolo da academia brasileira. Erney não se satisfaz em ficar dentro do seu laboratório. Ele é um homem institucional, que faz questão de fortalecer a nossa universidade e a ciência de nosso país. Ele lutou e deu o melhor de si quando ocupou os cargos públicos. E em cada instituição que ele passou, deixou uma marca. Obrigado Erney por aceitar essa homenagem e obrigado ICB-USP pela indicação feita ao Conselho Universitário”, encerrou o Prof. Dr. Vahan Agopyan, Reitor da USP.